sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Uma dose C.F.

Não faço amizades por conveniência. Não sei rir se não estou achando graça. Não atendo o telefone se não estou com vontade de conversar.

É preciso beijar meu próprio medo, pensei, para que ele se torne meu amigo.

Tenho repetido que, no que depender de mim, me recuso a ser infeliz.


Caio Fernando Abreu.

Nenhum comentário: