quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

na ponta dos dedos*

Às vezes me pergunto se o que senti foi amor. Outras vezes se o que tivemos foi paixão. Chego até a perguntar se o que vivemos foi engano. Sendo ou não, não faz mais diferença, já deixei "na mentira" todas as lembranças boas do passado. Mas o que mais me impressiona, é que quando se termina algo antigo, sempre o passado toma posse de uma parte da gente. Sempre faltará um pedaço... O pedaço do primeiro candidato à vaga vazia que agora jaz no meu peito. Passo e repasso os fatos, não encontro culpados, muito menos residentes desse velho passado que já me abandonou faz tempo. Certa vez eu escrevi que sentia "saudade", outra vez eu escrevi que eu não era "mais sua", na derradeira vez escrevi que não te "queria" e por último eu disse "adeus". Mas toda vez que eu lembro e relembro os fatos, que eu corto as falas e que eu me "encanto" facilmente por um outro estranho, vejo o antigo "eu" que foi abandonado por um babaca.  Aí você pergunta: "por acaso você está falando dos seus problemas amorosos?". De início eu poderia dizer sim. Porém, essa pessoa que escreve já não existe mais. Ela partiu, foi embora. Então, aqui são apenas fatos. Fatos contados, misturados com ficção e tornados inutilizáveis pela mesma merda que se tornou esse mundo.

sábado, 25 de dezembro de 2010

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Passa tempo

Eu sou meio pacato, 
às vezes impulsivo, 
eu sou muito sensato, 
as vezes emotivo, 
eu sou um tanto chato, 
um tanto positivo, 
louco de fato, 
complicadamente vivo .

P.S: Essa frase é de uma comunidade do orkut!

Batimentos...

Você é meu, ainda não, mas vai ser.
Quero te beijar, te tocar, te sentir.
Sentir tuas mãos, tua boca, tua pele.
Quero te sentir e te tocar de novo e de novo.
Quero dizer que és meu, só meu.
Quero enlouquecer e enlouquecendo
quero me perder dentro de você.
Quero viajar nos teus braços e viver em
 teus braços, e me alimentar dos teus abraços.
Quero ser aquela a quem chamas de amada
Quero ser a tua outra metade.
Quero ser, talvez, você.

Vagos pensamentos.

Sabe, às vezes eu penso muito, outras vezes eu não penso nada. Há quem diga que na cabeça do homem existe uma caixa vazia onde ele sempre se esconde. E também há quem diga que é impossível a mulher fugir para esse lugar. Mas será que é verdade mesmo? Ultimamente tenho duvidado muito disso. E não só disso, de todas as verdades existentes hoje em dia. Talvez eu esteja passando por aquela mesma crise ou melhor, talvez eu esteja inventando essa crise para tornar a minha vida mais dramática. Só sei que faz tempo que não escrevo e também sei que não sei o porquê de não escrever. 

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Muitas vezes nos bastamos com um bom sossego e uma coca-cola gelada. Outras vezes vivemos em uma constante crise existencial, forjando as respostas de hoje e buscando as perguntas do amanhã. Ficamos eternamente cansados de acreditar e viver e sonhar coisas alheias. Algumas vezes chegamos até a buscar na vida e construir no caminho as nossas próprias verdades. Mas, no fim, curtimos nossa loucura e descobrimos que ela é a única coisa sã encontrada para ser feliz.
Não sei qual foi o maior atrativo em você.
Se essa cara de homem másculo ou
tua pegada divinal. Conheço o teu segredo
e acho que talvez você possa conhecer o meu.
Só não garanto que quero fazer contigo tudo
o que já quis fazer um dia. Talvez agora
eu faça duas, três vezes pior. Talvez agora
eu fique louca. E que doce loucura seria
essa perdida no abismo dos teus lábios.
Abismo sim, porque é com eles
que eu me escondo e desapareço do mundo.
É com eles que eu me refresco
e é com eles que eu descubro uma outra língua,
um outro mundo, uma nova realidade.
Eu e você....seria hilário!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Passa tempo

Luzes, luzes, luzes...
Eu gosto de luzes.
Gosto de coisas brilhantes,
que refletem, que clareiam.
Daquelas que guiam e
daquelas que me garantem 
uma boa visão de mim mesmo.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Um talvez possivel texto

Uma certa pessoa me mandou escrever sobre triângulos amorosos, mas o que se pode dizer sobre eles? São chatos e cansativos, já viraram clichê em livros e filmes. Imagina só, você está lendo um livro quando de repente aquela mocinha "idiota" começa com aquelas dúvidas: "Será que eu gosto mesmo dele? Meu namorado é tão bom comigo, mas o outro é mais engraçado, mais bonito, mais isso, mais aquilo..." me tira do sério essas coisas. Mas não podemos tirar o mérito de alguns triângulos que realmente dão certo na telinha. Porém, não vamos esquecer que é ficção. Qual o ser humano que gosta de ter dúvida? Que gosta de ficar dividido entre o carinho de um e a amizade do outro? A verdade é que triângulos amorosos não são bons. Sempre existirá um machucado e no fundo, mesmo velha, sempre existirá a dúvida. Então, evite triângulos de todas as espécies.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

"Tá tudo colorido mas é só escuridão. Perdida no céu, na dimensão..."

Tente outra vez...até morrer!

"...eu tento e tento, mas tudo que eu consigo colocar aqui são pedaços de mim. Me perdi na imensidão do meu todo e entrei no buraco da dúvida. Sigo com as perguntas sufocadas e me cego com a brutalidade das verdades."

Histórias da carochinha

Chega uma hora que o tempo não se aguenta e que as horas não se demoram. É nesses momentos de desolação total que aprendemos o nosso próprio jeito de fazer as coisas. Que vemos no retrato à imagem daquela pessoa que já foi, mas não é mais. Daquilo que já quis e já deixou de ser. Tudo está escuro e tudo é solidão, "abarca amor, o coração que deixou de bater." A vida vai embora e as batidas caem ao chão. O tic-tac diz que não e tudo recomeça como foi ontem, o último dia. Fim de tempo, fim de história e tudo se repete de novo e de novo, parado enfim no tempo. É como aqueles contos da carochinha que nunca acontecem, que nunca são lidos e que são esquecidos na boca do destino.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Sempre ao seu lado

Hachiko era um Akita que pertencia a um professor universitário, chamado Eizaburo Ueno, que morava em um subúrbio de Tokyo, perto da estação de Shibuya. Todas as manhãs Hachiko acompanhava seu dono no percurso de casa à estação de trem, voltando no final da tarde para acompanhá-lo na volta para a casa.
No dia 21 de maio de 1925, Hachiko, que tinha tinha apenas um ano e meio, estava na estação como de costume esperando seu dono chegar no trem das 16 horas. Porém, naquele dia o Professor Ueno não voltou, porque tinha sorfrido um derrame fatal na Universidade.
Após a morte do Professor, seus parentes e amigos passaram a cuidar do cão, mas Hachiko continuava indo todos os dias à estação de Shibuya para esperar seu dono voltar do trabalho. Muitos anos se passaram e mesmo com dificuldades para andar em decorrência de problemas de saúde, Hachiko mantinha sua rotina diária à estação. Sua vigília durou até o dia 7 de Março de 1934, quando já com 11 anos e 4 meses foi encontrado morto no mesmo lugar onde esperou pelo seu dono por tantos anos. A memória de Hachiko foi imortalizada em uma pequena estátua de bronze colocada na estação de Shibuya, local onde ele morreu.
A história original de Hachiko foi contada em um filme japonês de 1987, chamado Hachiko monogatari. A versão americana (Hachiko: a dog’s story), com Richard Gere, transpôs o drama para Rhode Island. "Chorei como um bebê" ao ler o roteiro, disse Gere. "Não tinha certeza se era só uma reação sensível que estava tendo naquele dia, então li de novo uns dias depois e reagi da mesma forma. Esta é uma história de amor, que não tem nada a ver com gênero ou espécie."
P.S: Também chorei muito. E o filme me surpreendeu, pensei que nenhum outro conseguiria ultrapassar "Marley e eu". Mas, pelo visto me enganei. Recomendo!

Despedida de Olga Benário



Queridos,

Amanhã vou precisar de toda a minha força e de toda a minha vontade. Por isso, não posso pensar nas coisas que me torturam o coração, que são mais caras que a minha própria vida. E por isso me despeço de vocês agora. É totalmente impossível para mim imaginar, filha querida, que não voltarei a ver-te, que nunca mais voltarei a estreitar-te em meus braços ansiosos. Quisera poder pentear-te, fazer-te as tranças - ah, não, elas foram cortadas. Mas te fica melhor o cabelo solto, um pouco desalinhado. Antes de tudo, vou fazer-te forte. Deves andar de sandálias ou descalça, correr ao ar livre comigo. Sua avó, em princípio, não estará muito bem. Deves respeitá-la e querê-la por toda a tua vida, como teu pai e eu fazemos. Todas as manhãs faremos ginástica... Vês? Já volto a sonhar, como tantas noites, e esqueço que esta é a minha carta de despedida. E agora, quando penso nisto de novo, a idéia de que nunca mais poderei estreitar teu corpinho cálido é para mim como a morte.
Carlos, querido, amado meu: terei que renunciar para sempre a tudo de bom que me destes? Conformar-me-ei, mesmo que não pudesse ter-te muito próximo, que teus olhos mais uma vez me olhassem. E queria ver teu sorriso. Quero-os a ambos, tanto, tanto. E estou tão agradecida à vida, por ela haver-me dado ambos. Mas o que eu gostaria era de poder viver um dia feliz, os três juntos, como milhares de vezes imaginei. Será possível que nunca verei o quanto orgulhoso e feliz t sentes por nossa filha?
Querida Anita, meu querido marido, meu Garoto: choro debaixo das mantas para que ninguém me ouça, pois parece que hoje as forças não conseguem alcançar-me para suportar algo tão terrível. É precisamente por isso que esforço-me para despedir-me de vocês agora, para não ter que fazê-lo nas últimas e difíceis horas. Depois desta noite, quero viver para este futuro tão breve que me resta. De ti aprendi, querido, o quanto significa a força de vontade, especialmente se emana de fontes como as nossas. Lutei pelo justo, pelo bom e pelo melhor do mundo. Prometo-te agora, ao despedir-me, que até o último instante não terão por que se envergonhar de mim. Quero que me entendam bem: preparar-me para a morte não significa que me renda, mas sim saber fazer-lhe frente quando ela chegue.
Mas, no entanto, podem ainda acontecer tantas coisas... Até o último momento manter-me-ei firme e com vontade de viver. Agora vou dormir para ser mais forte. Beijo-os pela última vez.

Olga 

É através de coisas como essa que percebemos o quanto temos recebido e o quanto somos realmente felizes. Olga foi entregue à morte e mesmo estando onde esteve, permaneceu firme até o fim com as suas ideias. Ela foi afastada de tudo e de todos que amava, ela sofreu e morreu, mas a sua memória permanecerá viva por muitas gerações. Agora pára de reclamar da vida e vai trabalhar vagabundo.

P.S: Em um campo de concentração da Alemanha nazista, Olga vivencia os últimos dias de sua vida. Morta por um gás letal, ela ainda vive, mas como uma importantíssima pessoa que deixou o seu valor na história do comunismo mundial e que fez do seu ideal de vida um sonho para vários povos de todo o mundo.

sábado, 4 de dezembro de 2010

43 coisas que eu não sabia


1 - O material mais resistente criado pela natureza é a teia de aranha.
2 - Na França é proibida a venda de bonecos que não tenham rostos humanos, como ETs.
3 - As moscas domésticas vivem apenas 2 semanas.
4 - Astronautas não podem comer feijão antes de suas viagens, pois os gases podem danificar as roupas espaciais.
5 - Meninos com nomes estranhos geralmente tem mais problemas mentais que as meninas.
6 - Os russos atendem ao telefone dizendo “Estou ouvindo”
7 - Até 1967 o uso do LSD era permitido na California.
8 - 15% das mulheres americanas mandam flores para si mesmas no dia dos namorados.
9 - O nome científico do gorila é “Gorilla, gorilla, gorilla”.
10 - O livro mais vendido no mundo é a Bíblia.
11 - Graham Bell atendia o telefone dizendo “Ahoy”
12 - As mulheres são as maiores compradoras de: cuecas e barbeadores elétricos.
13 - Shigechio Isumi, um pescador japonês viveu 121 anos.
14 - 110.000 pessoas vão ter mais de 100 anos em 2016.
15 - As palavras cruzadas surgiram em 10 de abril de 1924.
16 - Shaquile Oneil usa um par de tênis por partida.
17 - Uma mulher chamada Mum-Zi já era avó com 17 anos. Ela teve sua filha com 8 anos e 4 meses, e sua filha também se tornou mãe com 8 anos!
18 - Americanos consomem 16.000 toneladas de aspirina por ano.
19 - Uma pulga fêmea consome por dia 15 vezes o próprio peso em sangue!
20 - Há mais de 2400 espécias de pulgas conhecidas.
21 - Quando cobras nascem com duas cabeças, as cabeças brigam entre si por comida.
22 - O Oceano Atlântico é mais salgado que o Pacífico.
23 - O elefante é o único animal com quatro joelhos.
24 - Um bilhão de segundos equivale a 31,7 anos.
25 - 16% das mulheres nascem loiras. 33% das mulheres são loiras.
26 - A população mundial deve dobrar em 2050.
27 - 10.000 produtos químicos são criados por dia.
28 - Uma gota de óleo torna 25 litros de água imprópria para o consumo.
29 - 98% dos japoneses são cremados.
30 - Uma asa de mosquito se move 1000 vezes por segundo.
31 - Antes da Segunda Guerra os negros não eram aceitos no Exército Americano.
32 - As únicas pedras da Antártida são fragmentos de meteoritos.
33 - O crânio tem 29 ossos..
34 - Uma pessoa morre de câncer por hora.
35 - Os americanos gastam mais com comida de cachorro que com comida de bebê.
36 - Os koalas não bebem água, eles absorvem os líquidos das folhas de eucalipto.
37 - Seu cabelo cresce mais rápido à noite, e você perde em média 100 fios por dia.
38 - Os astronautas são mais altos no espaço que na Terra, devido à ausência de gravidade.
39 - Os olhos de um hamster podem cair se você pendurá-lo de cabeça pra baixo.
40 - Rir durante o dia faz com que você durma melhor à noite.
41 - O Incrível Hulk era originalmente cinza.
42 - A palavra “VIP” significa “Very Important Person”
43 - Um copo de água quente congela primeiro que um de água fria!.

Mulheres poderosas

SÓ AS MULHERES PODEM:

1 - Fingir naturalidade durante um exame ginecológico.
2 - Usar o poder de uma calça jeans para rediagramar a estrutura do corpo.
3 - Ter crise conjugal, crise existencial, crise de identidade e crise de nervos!
4 - Ser mãe solteira, mãe casada, mãe separada, mãe do marido.
5 - Lavar a calcinha no chuveiro. E depois pendurá-la na torneira, para horror do sexo masculino..
6 - Rasgar a meia na entrada da festa.
7 - Sentir-se pronta para conquistar o mundo, quando está usando um batom novo!
8 - Chorar no banheiro, e ficar se olhando no espelho para ver qual melhor ângulo.
9 - Achar que o seu relacionamento acabou, e depois descobrir que era tudo tensão pré-menstrual.
10 - Nunca saber se é para dividir a conta, ou se é para ficar meiguinha.
11 - Dizer não, para ele insistir bastante, e aí ter que dizer sim!

SÓ AS MULHERES ENTENDEM:

1 - Por que é bom ter cinco pares de sapatos pretos.
2 - A diferença entre creme, marfim, e bege claro.
3 - Achar o homem ideal é difícil, mas achar um bom cabeleireiro é praticamente impossível.

E O TÓPICO NÚMERO UM QUE SÓ AS MULHERES ENTENDEM:

1 - As outras mulheres!





ORAÇÃO DAS MULHERES:

"Querido Deus. Até agora o meu dia foi bom:
Não fiz fofoca, não perdi a paciência, não fui gananciosa,
 sarcástica, rabugenta, chata e nem irônica.
Controlei minha TPM, não reclamei, não praguejei,
 não gritei, nem tive ataques de ciúmes. Não comi chocolate.
Também não fiz débitos em meu cartão de crédito
(nem do meu marido) e nem dei cheques pré-datados.
Mas peço a sua proteção, Senhor, pois estou
para levantar da cama a qualquer momento...
Amém!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Filmee

Quem não vicia e quem não já é?
Tudo é ponto de vista.
O meu é paladar.

Coca gelada, filme gostoso e brigadeiro.
Combinação perfeita. Só falta a boca.
Boca pra beijar. Beijo passado,
beijo de filme. Tudo é válido.
Só não pode faltar.

P.S: Era pra o texto ser melhor...
P.S.2: Recomendações - Alugue ou compre um filme. Pois assistir também é cultura. Faz bem.

Dream

Sonhos misturados, mente embaralhada, vida perdida
nos braços mórbidos do tempo que me engole feito 
cogumelo inscrito nos pesares do esquecimento.
Como eu queria ainda ser criança... 

Eu. Você.

"...a luz que cega meus olhos é a mesma que me mostra você."

Minha vida na TV

"...foi assistindo as mesmas mentiras de sempre 
que aprendi que a vida é uma eterna novela regravada
nos vídeos cacetes dos DVD's ultrapassados."
Traduzindo. Não existe.

CÉU

Os balões rasgam o céu, cozinham os olhos e arrancam o juízo que já se foi. Os balões são vermelhos. Vermelho sangue. Cortam, retalham e costuram. Seguem uma sequência, cumprem um cronograma. Fazem o que fazem e depois desaparecem, explodem. As cores são um mistério, os balões uma incógnita. Eles deixaram uma mancha no escuro céu lá fora. Mas a mancha não é vermelha, ela é preta, um preto em sangue, um preto em vermelho, um preto no mel. Doce mel de uma amarga noite sem fim. "Como eu queria morrer de amor e continuar vivendo."
Como eu queria ter todas as respostas e continuar não sabendo o porquê da saudade, do fim, do nada.

P.S: A imagem não tem nada a ver com o pensamento. 

O mundo de uma doida falante

Parece loucura, mas o mundo vive. Ele se move. Ele fala comigo. 
Suas moléculas pairam pelo infinito trazendo tudo o de mais novo 
pra esse mundo velho, e a gente pensa que é novidade, mas não é.
São tantas as histórias, lendas e mistérios, que se torna inadmissível
não se acreditar em bicho papão, anjo e papai noel. Todos mentem, 
todos acreditam, mas ninguém fala. Esses são os tais segredos obscuros
de quem ainda não perdeu a sua fé...

domingo, 28 de novembro de 2010

"Fico presa entre as ferragens da tua desgraça. Me perco dentro das incertezas da tua cabeça. Me torno tudo o que tu quer e deixo tudo o que eu mais quis. Me destruo. Viro nada. Obstruo a minha verdade e coloco a tua como absoluta. Como sou boba amor, me entreguei de mãos beijadas nesse teu joguinho idiota. Fui apenas mais uma peça nesse xadrez maluco, nesse jogo de lógica que me roubou a razão..."

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Paradoxo parado

Quando se reparte o paradoxo por completo.
Sonho e realidade, tudo se confunde com nada.
Cansei de procurar.
Cansei de correr.
Cansei de me misturar com aquilo que não é eu.
É hora de parar.
Viver a realidade sem você.
Viver a realidade sem o outro eu.
Renascer,
começar,
crescer.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Bullying

No meu aniversário, que foi no dia 15 de novembro, eu assisti um filme que em termos estéticos e cinematográficos é horrível. Mas quando você pega o roteiro e lê e analisa e busca e entende. Você percebe que ele tem tudo pra ser um ótimo filme. Bullyingalém de tratar do termo genérico e epistemológico da palavra, reflete a realidade de diversos jovens e adolescentes mexicanos que sofrem com esse problema nas diversas esferas da vida pública e particular dentro das escolas. Então, o que é Bullying? Bullying é uma forma de agressão que ocorre nas escolas, caracterizada pelas ações de dominação de um indivíduo sobre outro, através de um comportamento agressivo, repetitivo e em uma relação desigual de poder. Segundo dados da Justiça dos Estados Unidos, uma em cada quatro crianças sofre Bullying em suas escolas. No filme, também apareceu esses mesmos dados em relação ao México, sendo o resultado diferenciado pela forma da qual se dá esses ataques. No Brasil também foi realizada uma pesquisa no interior de São Paulo com 1.761 alunos, em 2002, tanto em escolas públicas quanto em particulares, onde foi comprovado que 49% desses alunos estavam envolvidos de forma direta ou indireta com o fenômeno. Em um breve quadro mostrarei as consequências, características e soluções para o problema.



Tipos de Bullying
Direto: quando as vítimas são atacadas diretamente, incluindo agressões físicas e verbais, ameaças, roubos.
Indireto: quando as vítimas estão ausentes, compreendendo atitudes de indiferença, exclusão e isolamento do grupo.
Cyberbullying: uso da tecnologia de informação e comunicação como recurso para a adoção de comportamento deliberados.

Fatores de risco
Fatores econômicos, sociais e culturais, aspectos inatos de temperamento e influências familiares, de amigos, da escola e da comunidade, podem constituir fatores de risco para a manifestação do bullying .


Consequências


Bullies, vítimas e testemunhas de bullying enfrentam conseqüências físicas e emocionais de curto e longo prazo, as quais podem causar dificuldades acadêmicas, sociais, emocionais e legais. As criancas vítimas de bullying são mais propensas a sofrerem de depressão e baixa auto-estima na vida adulta.




Quais indicadores de alvos?
- Demonstrar falta de vontade de ir à escola.
- Sentir-se mal perto da hora de sair de casa.
- Pedir para trocar de escola.
- Revelar medo de ir ou voltar da escola.
- Pedir sempre para ser levado àescola.
- Mudar frequentemente o trajeto entre a casa e a e-escola.
- Apresentar baixo rendimento escolar.
- Voltar da escola, repetidamente, com roupas ou livros rasgados.
- Chegar muitas vezes em casa com machucados inexplicáveis.
- Quais indicadores de alvos





CASOS NO BRASIL
- Edimar, 18 anos. Vivia na pacata cidade de Taiúva – SP. Seus colegas fizeram dele motivo de chacota porque era muito gordo. Puseram-lhe vários apelidos. No dia 27 de janeiro de 2003 ele entrou na escola armado e atirou contra seis alunos, uma professora e o zelador, matando-se a seguir
- Luis Antônio, 11 anos. Sempre gostou de estudar. Mas ao mudar de Natal para Recife, não queria ir mais à escola. Tornou-se motivo de chacota na escola pelo sotaque diferente. Batiam-lhe, empurravam-no, davam-lhe chutes - fatos que sua professora confirmou. Na manhã do dia fatídico, apanhou de alguns meninos que o ameaçaram com a “hora da saída”. Aterrorizado, por volta das 10:30 h, saiu correndo da escola e nunca mais foi visto.
O que a escola pode/deve fazer?
Implantar política anti-bullying, envolvendo professores, funcionários, alunos e pais. Informando, sensibilizando, conscientizando e mobilizando a todos.

Denuncie VOCÊ também, BULLYING é CRIME!

sábado, 20 de novembro de 2010

Homens e eu.

Mal tinha chegado o inverno e eu já sentia todo o meu corpo congelado, pregado no chão desse quarto que agora me cerca. A cama tá desfeita, a janela aberta e as minhas roupas voam. Eu não faço nada. Sinto meu corpo doer, os ossos cortam minha pele. A fratura é interna, mas o que está exposto é o meu coração. Vazio, um grande vazio se apossa de mim. Estou só, de novo novamente. Tento me levantar aos poucos sem deixar a cabeça cair. Mexo os dedos. Não os sinto mexendo. Mexo a cabeça, mas tudo o que consigo é arrancar um grito involuntário de dor da minha garganta. Será que fiquei paraplégica? Paraplégica de desilusão? Talvez sim. Tento mais uma vez me mexer, só que dessa vez pego o telefone e te ligo. Três dias. Três dias te liguei e três dias fiquei sem resposta. Não como. Não vivo. Mas também não morro. Os minutos viraram horas e tudo o que  mais penso é em te deixar. Mas toda vez que imagino teus lábios na minha boca e tuas mãos no meu corpo, perco os sentidos dos sentimentos. Perco a razão. E de novo fico só. Decido tomar banho. Quero tirar de mim todos os teus vestígios. Quero arrancar do meu corpo o teu cheiro. Quero te afogar na água dos meus pensamentos e por fim, apertar a descarga. A água aos poucos vai limpando o meu corpo. Solto o cabelo. Tudo vai sendo levado embora. Os pensamentos, as lembranças, as mágoas e o amor. Mas a saudade, ela tá impregnada dentro de mim. A água não a leva embora, eu morro de desgosto por isso. Me enxugo e procuro uma roupa. Pego o meu melhor salto e coloco o meu melhor batom. Saio na noitada, não conheço ninguém, só vejo você. Você e eu aqui, num plano invisível de infelicidade. Então, aí vai a dica: "Procura-se um HOMEM de verdade."

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

De pernas pro ar...



Salgueiro, 5 de janeiro de 2010
Jen,
Oi, há quanto tempo, hein? Lembra-se de mim? Acho que não. Se lembrasse já teria escrito você mesma essa carta. Na realidade, nem eu sei porque estou te escrevendo. Acho que senti saudade, sei lá. Então me conta menina, como vai a vida? E "T", ainda fala com ele? Sei que você não gosta quando falo dele, então esquece. Esquece que escrevi isso. Só não te escrevo em outra carta porque estou sem papel. Enfim, sem desculpas e sem "você sabe quem", quero dizer que você faz muita falta. Até parece que foi ontem que a gente se esbarrou no metrô. Você parecia uma louca com tantos papéis espalhados pelo chão. E por falar nisso, eu nunca acreditei que você fosse realmente pobre (como sempre dizia). Então, relaxa, não vim aqui pra te julgar. Só escrevi mesmo porque me lembrei daquela vez que em jogamos ovos nos meninos do 4B. Foi tão engraçado. Eles ficaram putos da vida. Saudades. 
P.S: Vê se me liga. Faz 5 meses que a gente não se ver.
L.C.

Salgueiro, 13 março de 2010

Hey, 
Não sei se você recebeu uma carta que  te mandei. Faz uns 2 meses. Você não escreveu nada, não mandou resposta. Então, acho que você não recebeu. Liga pra mim, ainda tô com aquele mesmo número. 
P.S: Tentei te ligar várias vezes. Você trocou o número do cel?
L.C.
Sousa, 19 de novembro de 2010
Oi,
Recebi ontem a carta que você mandou. Mas não entendi o que quis dizer com "você nunca foi minha amiga".  Sério. Você esqueceu tudo o que passamos juntas? De todas as lutas, de todas as promessas, de tudo o que já sofremos por causa de "você sabe quem". Aí depois de mais de um ano, você manda uma carta ridícula dizendo que está com "ELE" e dizendo que eu que fui a falsa? Vai pra %$@#...Você que mentiu pra mim. Você que fingiu ser algo que nunca foi. Então, você não tem moral de julgar quem é ou deixa de ser bom. Me esquece vadia!
P.S: Eu já te disse como você tá ridícula agora? Tá parecendo uma vaca. Quer dizer, você é uma vaca, literalmente.
L.C.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

"São nessas primaveras e verões que você desaparece
 por inteiro dos meus pés. Só fica eu, eu e o mundo..."

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Boas-vindas...

Quero dar às boas-vindas aos novos seguidores
e visitantes do Blog. Fico muuuito feliz com as suas
presenças aqui. Muito feliz mesmo. Então,
qualquer coisa, manda um comentário ou pode pedir
o meu e-mail, que dependendo da situação, 
teremos um bom papo.

Atenciosamente,
Luiza Catarina.

A arte hoje é complicar...

Complica-se os amores, as amizades, os sonhos.
Complica-se as derrotas, as lutas, as certezas.
Complica-se a vida.
Tudo é fácil, tão claro, tão possível...
Não sei porque gostamos tanto da arte de complicar.
Talvez seja porque já somos tão complicados,
que complicamos todo o conjunto ao nosso redor.
Infectamos tudo e a todos que se atrevem a ultrapassar
nossas barreiras de pré-compreensões e preconceitos.
Culpamos os outros e o mundo por nossas derrotas.
E nos fechamos no "nosso" mundo,
pensando acreditar que realmente somos
diferentes dos outros lá fora.

Pérolas

L: Meeeu Deeeus. kkkkkkk
T: kkkkkkkkk
L: Olha a cara de dor dele!!
T: Isso é que é vencer o impossível.
L: Realmente, pensei que era impossível ele ficar mais feio. kkkkk
T: Eu acho ele bonito.
L: Ele é bonito, mas essa foto tá ridícula. Tá pior do que naquele filme Uma vida sem regras.
T: É mesmo, ele tava horrível naquele filme. Prefiro ele em Harry Potter.
L: Prefiro ele em Crepúsculo. Será que isso vai sair no filme?
T: Tá doida? Bebeu foi?
L: Sei lá, nunca se sabe, né? "De tudo existe de nada duvide". kkkkkkk
T: Tu já gosta dessa frase, troca o disco mundiça.
L: Fazer o que se isso é verdade. É ou num é?
T: Homii, vai...
L: Ei, tá indo pra onde?? Nós ainda nem terminamos o debate sobre amanhecer...
L: Eiii...Menina...
L: oxx, sem graça!

sábado, 13 de novembro de 2010

Loucos

Loucos,
somos todos loucos.
Insanos,
perfeitos idiotas.

Never

"Nunca dormiremos juntos. Talvez como Tristão e Isolda, como Romeu e Julieta. Somos arquetípicos, ridículos, etéreos e nunca comuns. Comuns são os casais, nós não somos nada. Entretanto, belos e eternos - nada."

Fernanda Young

Hoje,

"...as distâncias me prendem e a minha vida pára.
Que pena que nada dura pra sempre."

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Eu, louca?!? Com certeza.

Às vezes sou chamada de louca, mas o que realmente vem ser loucura? "Ser louco é Perder a razão, é ser um alienado para o mundo onde não há mais espaços para a oposição. É estar fora de si, por não aguentar mais tantas injustiças. É estar contra o bom senso de pessoas que nem ao menos sabem o que é isso. É Ser dominado constantemente por uma paixão intensa por si mesmo. É Ser um eterno apaixonado pela vida e pelas pessoas. É ser esquisito e ao mesmo tempo incomum. É ser inconveniente e não ligar para o que os outros acham de você. É ser travesso, brincalhão, fazer da vida uma grande aventura. Tornando-se grande pelas suas ideias  e enorme por suas loucuras. Ser louco é fugir das normas de infelicidade que se é pregada no mundo hoje." Agora me pergunta: Você é louca? E eu respondo: Eu, louca?!? Com certeza, sou sim.

Pensar, viver, existir

"Penso, logo existo".
Mas, pensar não é viver.
E viver não é existir.
Então, o que vem a ser
a ciência do viver?
E o que tem a ver o
pensar do existir?
Penso que não sei
o que dizer.
Pois, vivo o que não
tem no existir.
Viver, pensar, existir,
coisas que não
se pensa. Vive-se.
Então, de novo,
Viver é concretizar.
Viver é escolher.
Viver é, por fim,
brincar de sonhar.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Aviso


Gente, quero falar um pouquinho sobre a minha ausência do Blog. Eu tô participando da VI Semana de Produção Acadêmica da UFCG no campos de Sousa (que é onde eu curso), então, tenho palestras: das 8 h às 12 h, das 14 h às 18 h e das 19 h às 22:30 h. Infelizmente estou muito cansada, e, devido ao total desgaste da minha mente com palestras do tipo: "E agora, quem poderá me defender?", não poderei escrever no Blog nada a mais que essas palavras. Beijinhos e até o próximo post...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

A Sedentarização da Cidadania

RESUMO

 “A sedentarização da cidadania”, em sentido formal, está atuando como agente separador de águas que nos impede de entender o que realmente vem a ser uma norma posta e imposta ao povo e pelo povo. No ramo político podemos encontrar diversos discursos que tem se mostrado descompromissados com a causa pública. Não se pode negar que o avanço e o reconhecimento das diferenças sociais é uma vitória da nova concepção de cidadania pelas forças responsáveis do atual contexto social, mas  o  usufruto  dessas  liberdades e direitos  prometidos ou garantidos como exercício da cidadania, depende não só de vontade  política, mas de cada cidadão fazendo a sua parte ao reivindicar o cumprimento desse direito que dá direitos.

Palavras-chave: Direitos e garantias. Cidadania. Causa Pública. Norma. Sedentarização. Ética.

P.S: Esse é um artigo que eu fiz para o SPA (Semana de Produção Acadêmica), nas próximas semanas acompanharemos esse tema e debateremos sobre ele. Beijinhooos!

O entardecer...

Sentada, nesse banco de pedra, frio e duro, escrevo estas palavras. Posso sentir o vento que espalha as folhas lá fora e posso ver a terra que entra pela porta dos fundos. A casa está vazia. E eu, sozinha. Final do dia, a hora perfeita para se pensar na vida. Também um dia perfeito para se casar um dia. Ouça os passos lá fora e vejo as sombras que passam. Sombras coloridas, borrões, nada mais. E sinto aquela velha saudade que inflama meu peito: necessidade. Necessito de muitas coisas e sempre necessitarei, mas tudo o que eu realmente quero: é sentir os teus dedos no meu cabelo, teu hálito esquentando a minha bochecha e os teus braços no meu corpo. Ainda vejo e sinto os passos lá fora e penso na água corrente da chuva que se aproxima. O seu cheiro é tão inebriante que me dá lembranças. Lembranças que estão tatuadas nas rugas do meu rosto e no pesar dos meus passos. A noite se aproxima e os pensamentos vão embora. Agora permaneço vazia, até enfim, o próximo entardecer.

domingo, 7 de novembro de 2010

Dane-se tudo...

"A vida é uma droga!". Você pode fazer de tudo, tentar de tudo, mas nunca encontrará a FELICIDADE sozinho. Por mais que você lute e por mais que você corra sempre atrás dos seus sonhos, eles sempre permanecerão na direção contrária da sua vida. Você terá que fazer escolhas e com elas sacrifícios. Então, não vejo o porquê de ainda se acreditar numa FELICIDADE mendigada. De se acreditar em uma vida miserável. De se viver em meio a tantas banalidades que chega a ser impossível não lembrar que um dia você morrerá. E por mais que você tenha amigos e por mais que você tenha ideias. Sua morte não significará nada. Você será apenas mais uma pessoa que passou e não fez nada, não deixou nada, não revolucionou em nada. Você será apenas mais um idiota que viveu tendo sonhos, morreu tendo sonhos e que nunca mais os terá. É incrível como essa empresa de esperança e de renovação de forças tem trabalhado ultimamente, enganando a inocência e sacrificando o amor. Viva a liberdade. Viva a loucura. E viva, enfim, a uma vida sem modernidade, a uma vida sem mentiras e sem enganos, a uma vida sem eufemismos.

Mas não esqueça de uma coisa: ser feliz nem sempre tem a ver com escolhas. A felicidade está bem, bem perto de você. Estenda a sua mão, você pode alcança-la. Outra coisa, Deus te ama. Não esqueça disso também.

uma aventura pra se viver...

"...a verdade sempre será um mistério, assim como também a vida. Porém, você é quem decide se quer viver ou não dentro dele. Faça, viva, mas se lembre das consequências."

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Livro dos amores

Teu olhar
 quando me chama
 possui a força de um laço
 e sempre quando me encontra
imanta e rege meus passos.

Jaime Vaz Brasil

Eu e você...Necessidade

"Beijar a tua boca é a dor e o remédio que 
cura esse medo de nunca te ter por perto..."

Alexandre Pires

domingo, 31 de outubro de 2010

Brincando de fogo, sendo gelo...

"Você marcou demais...
tirou tudo o que podia,
levou o que não devia.
E me deixou aqui, sozinha."
"...mas não se preocupa amor,
tenho algo melhor pra te dar..."


Não importa...

"Censurem-me os sãos...
e critiquem-me os tolos."

de novo e de novo, novamente!

"...e de repente, me vi naquele mesmo lugar de sempre, te esperando feito uma louca e te amando feito uma desgraçada que só sabe sofrer e que ama sofrer por você."

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

"Hitler, o homem do ano"


O evento mais importante de 1938 aconteceu em 29 de setembro, quando quatro homens de estado se encontraram na residência de Hitler, em Munique, para redesenhar o mapa da Europoa. Os três visistantes nesta histórica conferência eram o Premiê Neville Chamberlain, da Grã-Bretanha, o Premiê Edouard Daladier da França e o Ditador Benito Mussolini da Itália. Mas com toda segurança a figura dominante era o anfitrião alemão, Adolf Hitler.


O Führer dos alemães, Comandante em Chefe do Exército, da Marinha e da Força Aérea alemãs, Chanceler do Terceiro Reich, Hitler, colheu naquele dia o resultado da audaz, desafiante e implacável política exterior que tinha exercido durante cinco anos e meio. Ele havia conseguido converter o Tratado de Versalles em nada. Roubou a Áustria diante dos olhos de um horrorizado e aparentemente impotente mundo.



Todos estes fatos escandalizaram às nações que tinham derrotado a Alemanha no campo de batalha 20 anos antes, mas nada aterrorizava tanto o mundo como os metódicos fatos do passado verão e começo do outono que ameaçavam com uma guerra mundial sobre a Checoslovaquia. Mas Hitler, sem derramamento de sangue, reduziu Checoslovaquia a um estado-marionete da Alemanha, forçando uma revisão drástica das alianças defensivas da Europa e ganhando sua liberdade de ação sobre o leste europeu, conseguindo a promessa de não envolvimento da poderosa Grã-Bretanha -e posteriormente da França-. Adolf Hitler, sem dúvida, converteu-se no homem do ano de 1938.



Tudo isto pode ser lido na edição da primeira semana de janeiro de 1939 da revista Time, que declarava Hitler como o homem do ano de 1938. Hoje em dia sabemos com certeza que ser escolhido como homem do ano pela revista Time é um privilégio e denota uma grande deferência, algo bom. Neste caso, a Time deixava claro que o protagonista do ano anterior tinha sido Hitler, o que não indica que estivesse de acordo com suas ações. Em qualquer caso, o pior ainda estava por chegar e é verdadeiro que naquele momento Hitler tinha levado a Alemanha a um ponto dominante na política internacional. Outro detalhe interessante é que a capa daquela edição é a imagem anterior que tem pouco a ver com Hitler. É uma das poucas ocasiões nas quais o eleito como protagonista do ano não apareceu na capa da revista.


Em meio a esta escolha da Time, um deputado sueco E.G.C. Brandt chegou a propor o nome de Adolf Hitler como Prêmio Nobel da Paz, Iniciativa apoiada inclusive por judeus como a escritora Gertrude Stein. Felizmente a nominação foi recusada em fevereiro, alguns meses antes de começar a Segunda Guerra Mundial. E a partir daí a gente já sabe a história
"Certa vez tomei a atitude política mais firme de minha vida: passei 24 horas sem comer uvas." (Woody Allen)