terça-feira, 31 de janeiro de 2012

(Im)Perfeitos.

Você começa a desenhar um boneco: faz a cabeça, os olhos, as orelhas... Coloca tudo da forma como você gosta. Ajeita as cores, as nuances, cuida dos detalhes. Enfim, faz tudo perfeito. Até que sem querer, derruba um pouquinho de tinta no canto superior do desenho, perto da cabeça, e sem querer, mais uma vez, termina por borrar toda a obra. Uma onda de frustração domina seus sentidos e você pensa: "passei tanto tempo concentrado nesse desenho que achei que finalmente ele ía me levar a algum lugar". E levou. Levou exatamente para o lugar em que estás sentado agora. Todos nós temos projetos individuais, "bonecos", sonhos, querer. Somos como crianças que correm de um lado para o outro, indecisas, escolhendo por qual caminho se tem a melhor vista, em qual brinquedo ter-se-á a aventura da eternidade, qual o sorvete mais gostoso, ou o doce mais doce, o céu mais azul. Somos assim, seres imperfeitos, humanos, feitos de carne, borrados e até mesmo rasgados, na maioria das vezes. 

Escolha que me faz.

Pressupõe-se que existe perdão para quem quer ser perdoado, mas antes deve existir sincero arrependimento, o que raramente encontramos no mundo atual. O resultado é: "todos querem perdão, mas ninguém quer pagar o preço por ele". Entenda, se até para morrer hoje em dia está caro, quanto mais ganhar o perdão de quem se ama. A vida é escolha e essa escolha pode ou não definir você para sempre.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Toques do tempo.

O tempo para tantas vezes ao nosso redor. É quase como se conseguíssemos alcançar os acórdãos do tempo, nos juntássemos a ele, virássemos um, uno, imperfeito. As pessoas mudam e nós, numa mesma canção, mudamos tão rápido quanto elas.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Um dia

"Você é linda, sua velha rabugenta,
e se eu pudesse ter dar um só presente
para o resto da sua vida seria este.
Confiança.
Seria o presente da Confiança.
Ou isso ou uma vela perfumada."

(David Nicholls, no livro: Um dia)

Minha versão de você.

Bem, o que eu poderia dizer sobre você? Primeiro, pense em alguém que você gostou de cara. Alguém que você achou esperto, provocador, que por alguns segundos, ou pelo restante deles, te roubou a razão se ser você mesmo. Segundo, pense em alguém que você, sempre ao ver, não consegue fazer outra coisa senão rir pelo simples fato de tê-la por perto. Terceiro, pense em alguém que te faz se sentir entendido, que faz você se sentir bem. Quarto, pense em alguém que você gostaria de construir uma vida ao lado. E quinto, é bem assim que eu vejo e penso e quero sempre pensar você. Até não poder mais segurar essa ilusão pela vida toda.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

wait \*

Meu sorriso sempre parece esperar o teu para ser mais feliz. 

Planeta eu, você.

Em qual planeta se tem uma pessoa mas não a possui?
(Sentir sem ver,
querer sem ser sabida,
gostar solitária.)
Todo fim é um fim sem fim verdadeiro.
E todo começo nunca começa do começo.
São dessas coisas que existe nesse mundo!

Os ís dos pontos,

Talvez o meu momento já tenha passado... 
num planeta bem distante, longe de você.

domingo, 1 de janeiro de 2012

Sin-to-instâncias!

Pensei que me fariam falta umas poucas palavras, mas não contei que a falta de amor-próprio me transformaria nessa pessoa tão não egoísta. Às vezes o egoísmo faz bem, saiba disso.