domingo, 28 de novembro de 2010

"Fico presa entre as ferragens da tua desgraça. Me perco dentro das incertezas da tua cabeça. Me torno tudo o que tu quer e deixo tudo o que eu mais quis. Me destruo. Viro nada. Obstruo a minha verdade e coloco a tua como absoluta. Como sou boba amor, me entreguei de mãos beijadas nesse teu joguinho idiota. Fui apenas mais uma peça nesse xadrez maluco, nesse jogo de lógica que me roubou a razão..."

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Paradoxo parado

Quando se reparte o paradoxo por completo.
Sonho e realidade, tudo se confunde com nada.
Cansei de procurar.
Cansei de correr.
Cansei de me misturar com aquilo que não é eu.
É hora de parar.
Viver a realidade sem você.
Viver a realidade sem o outro eu.
Renascer,
começar,
crescer.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Bullying

No meu aniversário, que foi no dia 15 de novembro, eu assisti um filme que em termos estéticos e cinematográficos é horrível. Mas quando você pega o roteiro e lê e analisa e busca e entende. Você percebe que ele tem tudo pra ser um ótimo filme. Bullyingalém de tratar do termo genérico e epistemológico da palavra, reflete a realidade de diversos jovens e adolescentes mexicanos que sofrem com esse problema nas diversas esferas da vida pública e particular dentro das escolas. Então, o que é Bullying? Bullying é uma forma de agressão que ocorre nas escolas, caracterizada pelas ações de dominação de um indivíduo sobre outro, através de um comportamento agressivo, repetitivo e em uma relação desigual de poder. Segundo dados da Justiça dos Estados Unidos, uma em cada quatro crianças sofre Bullying em suas escolas. No filme, também apareceu esses mesmos dados em relação ao México, sendo o resultado diferenciado pela forma da qual se dá esses ataques. No Brasil também foi realizada uma pesquisa no interior de São Paulo com 1.761 alunos, em 2002, tanto em escolas públicas quanto em particulares, onde foi comprovado que 49% desses alunos estavam envolvidos de forma direta ou indireta com o fenômeno. Em um breve quadro mostrarei as consequências, características e soluções para o problema.



Tipos de Bullying
Direto: quando as vítimas são atacadas diretamente, incluindo agressões físicas e verbais, ameaças, roubos.
Indireto: quando as vítimas estão ausentes, compreendendo atitudes de indiferença, exclusão e isolamento do grupo.
Cyberbullying: uso da tecnologia de informação e comunicação como recurso para a adoção de comportamento deliberados.

Fatores de risco
Fatores econômicos, sociais e culturais, aspectos inatos de temperamento e influências familiares, de amigos, da escola e da comunidade, podem constituir fatores de risco para a manifestação do bullying .


Consequências


Bullies, vítimas e testemunhas de bullying enfrentam conseqüências físicas e emocionais de curto e longo prazo, as quais podem causar dificuldades acadêmicas, sociais, emocionais e legais. As criancas vítimas de bullying são mais propensas a sofrerem de depressão e baixa auto-estima na vida adulta.




Quais indicadores de alvos?
- Demonstrar falta de vontade de ir à escola.
- Sentir-se mal perto da hora de sair de casa.
- Pedir para trocar de escola.
- Revelar medo de ir ou voltar da escola.
- Pedir sempre para ser levado àescola.
- Mudar frequentemente o trajeto entre a casa e a e-escola.
- Apresentar baixo rendimento escolar.
- Voltar da escola, repetidamente, com roupas ou livros rasgados.
- Chegar muitas vezes em casa com machucados inexplicáveis.
- Quais indicadores de alvos





CASOS NO BRASIL
- Edimar, 18 anos. Vivia na pacata cidade de Taiúva – SP. Seus colegas fizeram dele motivo de chacota porque era muito gordo. Puseram-lhe vários apelidos. No dia 27 de janeiro de 2003 ele entrou na escola armado e atirou contra seis alunos, uma professora e o zelador, matando-se a seguir
- Luis Antônio, 11 anos. Sempre gostou de estudar. Mas ao mudar de Natal para Recife, não queria ir mais à escola. Tornou-se motivo de chacota na escola pelo sotaque diferente. Batiam-lhe, empurravam-no, davam-lhe chutes - fatos que sua professora confirmou. Na manhã do dia fatídico, apanhou de alguns meninos que o ameaçaram com a “hora da saída”. Aterrorizado, por volta das 10:30 h, saiu correndo da escola e nunca mais foi visto.
O que a escola pode/deve fazer?
Implantar política anti-bullying, envolvendo professores, funcionários, alunos e pais. Informando, sensibilizando, conscientizando e mobilizando a todos.

Denuncie VOCÊ também, BULLYING é CRIME!

sábado, 20 de novembro de 2010

Homens e eu.

Mal tinha chegado o inverno e eu já sentia todo o meu corpo congelado, pregado no chão desse quarto que agora me cerca. A cama tá desfeita, a janela aberta e as minhas roupas voam. Eu não faço nada. Sinto meu corpo doer, os ossos cortam minha pele. A fratura é interna, mas o que está exposto é o meu coração. Vazio, um grande vazio se apossa de mim. Estou só, de novo novamente. Tento me levantar aos poucos sem deixar a cabeça cair. Mexo os dedos. Não os sinto mexendo. Mexo a cabeça, mas tudo o que consigo é arrancar um grito involuntário de dor da minha garganta. Será que fiquei paraplégica? Paraplégica de desilusão? Talvez sim. Tento mais uma vez me mexer, só que dessa vez pego o telefone e te ligo. Três dias. Três dias te liguei e três dias fiquei sem resposta. Não como. Não vivo. Mas também não morro. Os minutos viraram horas e tudo o que  mais penso é em te deixar. Mas toda vez que imagino teus lábios na minha boca e tuas mãos no meu corpo, perco os sentidos dos sentimentos. Perco a razão. E de novo fico só. Decido tomar banho. Quero tirar de mim todos os teus vestígios. Quero arrancar do meu corpo o teu cheiro. Quero te afogar na água dos meus pensamentos e por fim, apertar a descarga. A água aos poucos vai limpando o meu corpo. Solto o cabelo. Tudo vai sendo levado embora. Os pensamentos, as lembranças, as mágoas e o amor. Mas a saudade, ela tá impregnada dentro de mim. A água não a leva embora, eu morro de desgosto por isso. Me enxugo e procuro uma roupa. Pego o meu melhor salto e coloco o meu melhor batom. Saio na noitada, não conheço ninguém, só vejo você. Você e eu aqui, num plano invisível de infelicidade. Então, aí vai a dica: "Procura-se um HOMEM de verdade."

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

De pernas pro ar...



Salgueiro, 5 de janeiro de 2010
Jen,
Oi, há quanto tempo, hein? Lembra-se de mim? Acho que não. Se lembrasse já teria escrito você mesma essa carta. Na realidade, nem eu sei porque estou te escrevendo. Acho que senti saudade, sei lá. Então me conta menina, como vai a vida? E "T", ainda fala com ele? Sei que você não gosta quando falo dele, então esquece. Esquece que escrevi isso. Só não te escrevo em outra carta porque estou sem papel. Enfim, sem desculpas e sem "você sabe quem", quero dizer que você faz muita falta. Até parece que foi ontem que a gente se esbarrou no metrô. Você parecia uma louca com tantos papéis espalhados pelo chão. E por falar nisso, eu nunca acreditei que você fosse realmente pobre (como sempre dizia). Então, relaxa, não vim aqui pra te julgar. Só escrevi mesmo porque me lembrei daquela vez que em jogamos ovos nos meninos do 4B. Foi tão engraçado. Eles ficaram putos da vida. Saudades. 
P.S: Vê se me liga. Faz 5 meses que a gente não se ver.
L.C.

Salgueiro, 13 março de 2010

Hey, 
Não sei se você recebeu uma carta que  te mandei. Faz uns 2 meses. Você não escreveu nada, não mandou resposta. Então, acho que você não recebeu. Liga pra mim, ainda tô com aquele mesmo número. 
P.S: Tentei te ligar várias vezes. Você trocou o número do cel?
L.C.
Sousa, 19 de novembro de 2010
Oi,
Recebi ontem a carta que você mandou. Mas não entendi o que quis dizer com "você nunca foi minha amiga".  Sério. Você esqueceu tudo o que passamos juntas? De todas as lutas, de todas as promessas, de tudo o que já sofremos por causa de "você sabe quem". Aí depois de mais de um ano, você manda uma carta ridícula dizendo que está com "ELE" e dizendo que eu que fui a falsa? Vai pra %$@#...Você que mentiu pra mim. Você que fingiu ser algo que nunca foi. Então, você não tem moral de julgar quem é ou deixa de ser bom. Me esquece vadia!
P.S: Eu já te disse como você tá ridícula agora? Tá parecendo uma vaca. Quer dizer, você é uma vaca, literalmente.
L.C.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

"São nessas primaveras e verões que você desaparece
 por inteiro dos meus pés. Só fica eu, eu e o mundo..."

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Boas-vindas...

Quero dar às boas-vindas aos novos seguidores
e visitantes do Blog. Fico muuuito feliz com as suas
presenças aqui. Muito feliz mesmo. Então,
qualquer coisa, manda um comentário ou pode pedir
o meu e-mail, que dependendo da situação, 
teremos um bom papo.

Atenciosamente,
Luiza Catarina.

A arte hoje é complicar...

Complica-se os amores, as amizades, os sonhos.
Complica-se as derrotas, as lutas, as certezas.
Complica-se a vida.
Tudo é fácil, tão claro, tão possível...
Não sei porque gostamos tanto da arte de complicar.
Talvez seja porque já somos tão complicados,
que complicamos todo o conjunto ao nosso redor.
Infectamos tudo e a todos que se atrevem a ultrapassar
nossas barreiras de pré-compreensões e preconceitos.
Culpamos os outros e o mundo por nossas derrotas.
E nos fechamos no "nosso" mundo,
pensando acreditar que realmente somos
diferentes dos outros lá fora.

Pérolas

L: Meeeu Deeeus. kkkkkkk
T: kkkkkkkkk
L: Olha a cara de dor dele!!
T: Isso é que é vencer o impossível.
L: Realmente, pensei que era impossível ele ficar mais feio. kkkkk
T: Eu acho ele bonito.
L: Ele é bonito, mas essa foto tá ridícula. Tá pior do que naquele filme Uma vida sem regras.
T: É mesmo, ele tava horrível naquele filme. Prefiro ele em Harry Potter.
L: Prefiro ele em Crepúsculo. Será que isso vai sair no filme?
T: Tá doida? Bebeu foi?
L: Sei lá, nunca se sabe, né? "De tudo existe de nada duvide". kkkkkkk
T: Tu já gosta dessa frase, troca o disco mundiça.
L: Fazer o que se isso é verdade. É ou num é?
T: Homii, vai...
L: Ei, tá indo pra onde?? Nós ainda nem terminamos o debate sobre amanhecer...
L: Eiii...Menina...
L: oxx, sem graça!

sábado, 13 de novembro de 2010

Loucos

Loucos,
somos todos loucos.
Insanos,
perfeitos idiotas.

Never

"Nunca dormiremos juntos. Talvez como Tristão e Isolda, como Romeu e Julieta. Somos arquetípicos, ridículos, etéreos e nunca comuns. Comuns são os casais, nós não somos nada. Entretanto, belos e eternos - nada."

Fernanda Young

Hoje,

"...as distâncias me prendem e a minha vida pára.
Que pena que nada dura pra sempre."

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Eu, louca?!? Com certeza.

Às vezes sou chamada de louca, mas o que realmente vem ser loucura? "Ser louco é Perder a razão, é ser um alienado para o mundo onde não há mais espaços para a oposição. É estar fora de si, por não aguentar mais tantas injustiças. É estar contra o bom senso de pessoas que nem ao menos sabem o que é isso. É Ser dominado constantemente por uma paixão intensa por si mesmo. É Ser um eterno apaixonado pela vida e pelas pessoas. É ser esquisito e ao mesmo tempo incomum. É ser inconveniente e não ligar para o que os outros acham de você. É ser travesso, brincalhão, fazer da vida uma grande aventura. Tornando-se grande pelas suas ideias  e enorme por suas loucuras. Ser louco é fugir das normas de infelicidade que se é pregada no mundo hoje." Agora me pergunta: Você é louca? E eu respondo: Eu, louca?!? Com certeza, sou sim.

Pensar, viver, existir

"Penso, logo existo".
Mas, pensar não é viver.
E viver não é existir.
Então, o que vem a ser
a ciência do viver?
E o que tem a ver o
pensar do existir?
Penso que não sei
o que dizer.
Pois, vivo o que não
tem no existir.
Viver, pensar, existir,
coisas que não
se pensa. Vive-se.
Então, de novo,
Viver é concretizar.
Viver é escolher.
Viver é, por fim,
brincar de sonhar.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Aviso


Gente, quero falar um pouquinho sobre a minha ausência do Blog. Eu tô participando da VI Semana de Produção Acadêmica da UFCG no campos de Sousa (que é onde eu curso), então, tenho palestras: das 8 h às 12 h, das 14 h às 18 h e das 19 h às 22:30 h. Infelizmente estou muito cansada, e, devido ao total desgaste da minha mente com palestras do tipo: "E agora, quem poderá me defender?", não poderei escrever no Blog nada a mais que essas palavras. Beijinhos e até o próximo post...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

A Sedentarização da Cidadania

RESUMO

 “A sedentarização da cidadania”, em sentido formal, está atuando como agente separador de águas que nos impede de entender o que realmente vem a ser uma norma posta e imposta ao povo e pelo povo. No ramo político podemos encontrar diversos discursos que tem se mostrado descompromissados com a causa pública. Não se pode negar que o avanço e o reconhecimento das diferenças sociais é uma vitória da nova concepção de cidadania pelas forças responsáveis do atual contexto social, mas  o  usufruto  dessas  liberdades e direitos  prometidos ou garantidos como exercício da cidadania, depende não só de vontade  política, mas de cada cidadão fazendo a sua parte ao reivindicar o cumprimento desse direito que dá direitos.

Palavras-chave: Direitos e garantias. Cidadania. Causa Pública. Norma. Sedentarização. Ética.

P.S: Esse é um artigo que eu fiz para o SPA (Semana de Produção Acadêmica), nas próximas semanas acompanharemos esse tema e debateremos sobre ele. Beijinhooos!

O entardecer...

Sentada, nesse banco de pedra, frio e duro, escrevo estas palavras. Posso sentir o vento que espalha as folhas lá fora e posso ver a terra que entra pela porta dos fundos. A casa está vazia. E eu, sozinha. Final do dia, a hora perfeita para se pensar na vida. Também um dia perfeito para se casar um dia. Ouça os passos lá fora e vejo as sombras que passam. Sombras coloridas, borrões, nada mais. E sinto aquela velha saudade que inflama meu peito: necessidade. Necessito de muitas coisas e sempre necessitarei, mas tudo o que eu realmente quero: é sentir os teus dedos no meu cabelo, teu hálito esquentando a minha bochecha e os teus braços no meu corpo. Ainda vejo e sinto os passos lá fora e penso na água corrente da chuva que se aproxima. O seu cheiro é tão inebriante que me dá lembranças. Lembranças que estão tatuadas nas rugas do meu rosto e no pesar dos meus passos. A noite se aproxima e os pensamentos vão embora. Agora permaneço vazia, até enfim, o próximo entardecer.

domingo, 7 de novembro de 2010

Dane-se tudo...

"A vida é uma droga!". Você pode fazer de tudo, tentar de tudo, mas nunca encontrará a FELICIDADE sozinho. Por mais que você lute e por mais que você corra sempre atrás dos seus sonhos, eles sempre permanecerão na direção contrária da sua vida. Você terá que fazer escolhas e com elas sacrifícios. Então, não vejo o porquê de ainda se acreditar numa FELICIDADE mendigada. De se acreditar em uma vida miserável. De se viver em meio a tantas banalidades que chega a ser impossível não lembrar que um dia você morrerá. E por mais que você tenha amigos e por mais que você tenha ideias. Sua morte não significará nada. Você será apenas mais uma pessoa que passou e não fez nada, não deixou nada, não revolucionou em nada. Você será apenas mais um idiota que viveu tendo sonhos, morreu tendo sonhos e que nunca mais os terá. É incrível como essa empresa de esperança e de renovação de forças tem trabalhado ultimamente, enganando a inocência e sacrificando o amor. Viva a liberdade. Viva a loucura. E viva, enfim, a uma vida sem modernidade, a uma vida sem mentiras e sem enganos, a uma vida sem eufemismos.

Mas não esqueça de uma coisa: ser feliz nem sempre tem a ver com escolhas. A felicidade está bem, bem perto de você. Estenda a sua mão, você pode alcança-la. Outra coisa, Deus te ama. Não esqueça disso também.

uma aventura pra se viver...

"...a verdade sempre será um mistério, assim como também a vida. Porém, você é quem decide se quer viver ou não dentro dele. Faça, viva, mas se lembre das consequências."

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Livro dos amores

Teu olhar
 quando me chama
 possui a força de um laço
 e sempre quando me encontra
imanta e rege meus passos.

Jaime Vaz Brasil

Eu e você...Necessidade

"Beijar a tua boca é a dor e o remédio que 
cura esse medo de nunca te ter por perto..."

Alexandre Pires