sábado, 28 de dezembro de 2013

Utopia?!

As cartas estão na mesa... Conseguiria enxergá-las à quilômetros! Elas estão por toda parte, espalhadas de todas as maneiras possíveis, à espera que alguém desvende o segredo por trás de cada uma. O que há no coração de uma mulher? O que acontece nas entrelinhas de tudo o que forma o ser humano? Desejo, ambição, paixão, inveja, saudade, arrependimento, pecado, satisfação, medo, tristeza, felicidade? Qual o peso de cada uma dessas coisas na balança da vida? São cartas, ou seja, todas são movidas pelas probabilidades e incertezas apresentadas. Será que dá para calcular as chances de um coração partido ou de um fracasso? E o que você me fala da morte? Por que "A" tem êxito e "B" não? São coisas engraçadas, sabe, sentimentos, é sobre isso que falo. As cartas são apenas metáforas que a experiência nos impõe, enquanto nossas escolhas ocupam um lugar já empregado, isto é, cheio por todos os resultados futuramente e, salienta-se, anteriormente definidos. Como entender os "que's" e "por que's" da vida? É difícil tentar compreender o sistema utilizado para a distribuição de sucesso ou felicidade ou sei lá... qualquer coisa, afinal, todo sistema é meio corrupto, meio utópico.