quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Junto e misturado

O meu eu procura asilo na imensidão do infinito sem fim,
Ele se esconde nas lágrimas secas que molham o meu rosto,
Nas vozes roucas que cegam o meu corpo,
Nos gestos tolos que me marcam a história,
Nas tantas incertezas que me encobriram os prazeres já ganhados.
"E é de tanto olhar pra ESSA miragem que eu me misturo e viro ela."

Nenhum comentário: