segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Andarilha

 Talvez eu ande contrariando o tempo. Acordo nos dias e me perco nas horas. Vivo a loucura daqueles dias tão familiares e sombrios. Vivo a realidade da fuga. Escondo-me do mundo e ele se esconde de mim. Mas, agora, quero desafiar todos que se coloquem no meu caminho, até mesmo eu. Desejo muitas coisas e uma delas é ser merecedora de todos os nomes pelos quais já fui chamada algum dia. Quero que todos saibam que sou uma andarilha, seja na loucura de uma vida fora dos limites da realidade, seja nos limites de uma vida sem regras. Então, não venha me dizer o que fazer, não venha me dizer pra ficar. Pois, minha vida é andar, minha vida é me iludir e ao mesmo tempo ter a desilusão dessa ilusão querida. Minha vida é te dizer que sempre existirá outra verdade além da sua. Minha vida é buscar as verdades que há tempos o mundo esqueceu não lembrá-las. Minha vida é minha, ponto final.

Nenhum comentário: