quarta-feira, 6 de abril de 2011

É isso,

...nem mesmo assim esquecerei o possível mas não provável de esquecer. O esquecimento pode vim com o tempo, mas sentimento não se reprime. A gente tenta, faz e quer. Tenta esquecer, faz o possível pra não lembrar, mas no fim queremos mesmo aquela coisa, aquele sentimento. Por mais que ele seja cruel e por mais que ele nos mude tanto. Por isso que novamente é irrelevante falar de casos como esse. Irrelevante mas não relevado. É aqui que me passa aquele pensamento fugaz - mesquinho - de que posso ter o que desejo, afinal.

Nenhum comentário: