domingo, 28 de agosto de 2011

Não adianta fugir dos velhos fantasmas. Eles sempre nos assombram. Costumava pensar que ao seu lado me tornaria tudo aquilo que eu estava destinada a ser. Mas percebi que você me roubava todas as pretensões de ser alguma coisa. Descobri que precisava ter meus próprios sonhos, meu próprio caminho, precisava encontrar o equilíbrio que faltava. Porém, havia um problema, eu não sabia quem eu era, nem quais eram os meus gostos, muito menos do que precisava. Só sabia que queria diferença em cada célula do meu ser. Então, tive que começar do zero, numa cidade estranha, com pessoas estranhas de gostos estranhos. Por muito tempo pensei que tudo que eu tinha era o que você me dava, mas percebi, não tão tarde, que você tentava me esconder na sua caverninha... Tentado me isolar do mundo ou talvez me proteger de uma forma não convencional. Não te culpo pelas noites mal dormidas, muito menos pelos sonhos e amigos perdidos. Talvez, naquele momento, fosse a coisa certa para mim. No entanto, hoje, não é a coisa certa para nenhum de nós dois. Nossos sentimentos nos confunde, brincam com a nossa razão de forma inconsequente. Espero que o tempo me traga alguém que eu possa amar tão quanto eu te amei.

Um comentário:

B. disse...

Não poderia haver melhor definição.