segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Para viver um amor\*

Ás vezes, você olha e não vê que está bem ali ou faz vista grossa por medo de se machucar. Quando se entrega, cansa da rotina, exaspera-se. Se ele parte, dói. Assim é o amor: uma felicidade fugida, que cativa ou escorrega e se transforma e permanece, nunca o mesmo. Parece até um drama, mas é um romance com começo e meio. Fim? Depende. Recomeço? Sempre, porque a gente nunca desiste de tentar. E essa é a graça da vida...
Simone

Um comentário:

B. disse...

E principalmente agente nunca , mesmo que intimimamente, desiste de amar...nem deve!