terça-feira, 27 de julho de 2010

Encarcerada

Nas diversas faces que um dia assumiremos, perceberemos a profundidade das expressões que estarão voltadas para determinados indivíduos. Como em um sorriso, um olhar. Enfim, descobriremos uma diversidade de gostos, amizades, vida, felicidade. Uma mistura de são com sãs. E foi exatamente isso que eu percebi naquela manhã. Olhei para Edgar e tudo o que pude ver foi sua máscara. Uma máscara que já me abraçava nas manhãs desses últimos seis anos de casada. É impressionante como as coisas mudam. Antes eu era apenas uma adolescente cheia de sonhos e carências. Hoje, sou uma mulher casada, enfadada com tantas obrigações e ainda com o monte de sonhos não realizados e uma vida sexual frustrada. Não pude acreditar em tudo que se passou na minha vida. Às vezes, ainda penso em como deixei tudo chegar a esse ponto. Eu, uma mulher com 24 anos, casada por 6 anos com um homem que jurava me amar, mas, que não me ama, destinada a uma vida triste e infeliz, sustentada pelo marido e cuidando da casa. Às vezes, chego a pensar que minha vida não passa de um sonho. Na realidade, penso que minha vida ficou presa aos meus sete anos de idade quando tive um sonho para lá de louco, em que minha família e amigos tentavam me matar. Lembro-me que, no sonho, eu corria pela casa feito louca, uma vez que esta era enorme, cheia de artifícios e esconderijos. Eu sabia que estava sonhando, mas, a única coisa que eu conseguia fazer era correr, correr cada vez mais. Eu não conseguia acordar, eu apenas corria e corria e me esforçava para acordar, mas, não acordava. Recordo que nesse sonho eu morri e acordei atrasada para ir à escola. Desde esse dia sinto que ainda estou dormindo e vivendo um grande sonho. Sei que pode até parecer bobagem, mas, você já sentiu que toda a sua vida gira em torno de um mistério? Que nada do que faça ou fale ou tente dará certo? Pois, bem. Esse é o sentimento que se apossou de mim, em todos esses anos. Um sentimento de dever não-cumprido, uma sensação de que está me faltando algo.

2 comentários:

ONG ALERTA disse...

Os sonhos são mágicos, paz.
Beijo Lisette

Livinha disse...

Luazzz,
Sois tão jovem, tanto ainda a caminhar...
Não desencante, siga a estrada, harmonize-se e reerguendo suas estruturas.
Sonhamos, mas os sonhos não depende somente de nós, quando outras pessoas caminham com a gente nesta vida.
Não se coloque como culpada de ñada haver dado certo, quando os planos não foram apenas teus.
Os sonhos do sono são teus, criado por você, como não o acreditar que sois querida, e sonhas que tua família te persegue com ideias trágicas.
Ame-se mulher, ame-se menina. Ame-se e sentirá o amor em plenitude na tua vida.
Você é uma pessoinha que admiro muito. Tens uma bela escrita, um profundo transparente. Então não desanime, ainda há muito a te esperar lá na frente para te ver sorrindo.

Seja feliz Luazzz

Uma linda noite pra ti e um dia cheio de esperança.

Bjs

Livinha