segunda-feira, 17 de maio de 2010

Sala que eu vi, que me faz ver


Raio de sol, que entra e faz verão
Mesmo comigo e com meu coração
Bate o inverno nas finas cordas de cor
Finge contigo a baixa e sólida flor

Partículas dançando ao léu do meu nariz
Entrando e sugando uma vez que não me diz
Ondas que atraem e envolvem o escutar
Tão mesmo quando visto sob o sol do luar

Partindo quando tínhamos
Vivendo se podíamos
E vendo no céu uma luz brilhar

Se no chão mortal seríamos
No espaço nenhum queriam
Porém, vivendo sim, morrendo aqui, até brilhar

2 comentários:

Mylli disse...

ki liindo Lu'
Parabéns (tAperffect *o*

FRAN disse...

VC É O Q NEM SEI EXPLICAR ,MAIS EU CONSIDERO GENIO...MUITO ELEGANTE ESTE BLOG.BEIJOS