sábado, 29 de maio de 2010

Acesso à Justiça


A minha professora de Metodologia mandou a turma fazer um artigo científico sobre um assunto de interesse dos grupos. O meu grupo, inicialmente, pensou em escrever sobre a "Juridificação da vida social no âmbito familiar", mas chegamos a conclusão que esse tema é muito extenso e também muito complicado. Então, decidimos pesquisar e fundamentar nossas ideias acerca do "Acesso a justiça: uma questão de cidadania".
O acesso a justiça no Brasil está marcado por exclusões tanto no que diz respeito a dificuldades financeiras de manter o processo, quanto á própria falta de conhecimento das classes menos favorecidas sobre o seus direitos e até mesmo deveres. Além disso, um fato que vem desencadear a formação de instituições que privilegiam determinada classe social, com maior poder econômico, é que esse país herdou do seu processo de colonização essa forma injusta de se pregar a justiça. O direito contém um linguajar que poucos compreendem, consequentemente, forma-se uma barreira entre ele e a realidade social, pois, num país que ainda sofre com problemas de fome, miséria, analfabetismo e educação superior de difícil acesso, fica claro que o direito ainda não alcançou a realidade social. A ideia de acesso à justiça não está relacionada apenas com a possibilidade de usufruir dos serviços do Poder Judiciário, mas ele tem como compromisso superar os obstáculos que impedem e dificultam que parte da população tenha acesso a uma ordem jurídica justa e desfrutem de assistência jurídica plena e integral.Para a plena consecução de sua missão social de eliminar conflitos e fazer justiça, é preciso superar os obstáculos que a experiência mostra estarem constantemente a ameaçar a boa qualidade do produto final.

Para mais informações acerca dos seus direitos e deveres, acesse o site do Ministério da Justiça (http://portal.mj.gov.br/data/Pages/MJA21B014BPTBRIE.htm). Lá você encontrará novidades e poderá conhecer um pouco mais sobre a sua cidadania. Outras curiosidades ou dúvidas mande por comentário, responderei com maior prazer.

Nenhum comentário: