sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Monólogo

Ainda vivo pensando naquela primeira vez em que eu te vi. Você parecia tão ousado e provocador. Suas palavras me deixaram doida e até hoje eu não sei o que me magoou mais: "se foi eu ou se fui eu". Nesse jogo de palavras eu não saio ganhado, na realidade, perco muitas vezes, principalmente, pra você. Mas, eu sempre me pergunto: "será que tudo o que acontece comigo é fruto de uma realidade paralela?". Eu não sei se você já ouviu essa teoria, mas, fala-se às más línguas que nós vivemos em uma realidade paralela, onde não existe "verdade" nem "verdades", onde tudo é relativo, ao mesmo tempo em que essa relatividade é absoluta. Sei que é difícil entender, pra falar a verdade, os próprios idealizadores desse pensamento são loucos e ainda não encontraram essas respostas no definitivo. E tocando nesse assunto, até agora eu não entendi uma coisa: "se esse é um monólogo, por que eu estou falando com um público alvo? e por que esse público é você?". É cada uma que me aparece, hein? O quê? Que é isso, tá me tirando, é? kkkkkkk

P.S: sem graça, hein? Quê que foi, quê que foi, quê que é?

Nenhum comentário: