quarta-feira, 13 de julho de 2011

Precipício

Sabe aquele som do aparelho (do qual não lembro o nome no momento) que marca as batidas do coração? Sim, aquele que faz “pííííííííííí”, o barulho, ou melhor, o anjo que anuncia a morte de algum infeliz. Imagina esse som vinte e quatro horas nas suas ideias. É... é assim que me sinto. Talvez isso explique esse vazio das incertezas da minha quase desilusão amorosa. Mas como é um talvez/quase acho que a especulação não cairá tão bem quanto a certeza. Não há muito o que se fazer na UTI, então, temos que esperar um milagre ou se a vida for generosa, um milagreiro. Mas o melhor mesmo seria se nós lutássemos por essa vida, o que não deixa de ser a alternativa mais provável, visto que os únicos que lutam por nós somos nós mesmos. A vida é assim... Vivemos nessa constante e contínua vontade de nos provar (seja por cima, embaixo ou no meio de todos os outros sentimentos). O importante é provar, se provar e ser provado.

Um comentário:

B. disse...

acho que sua paixão não estava morrendo estava era em coma rsrsrs, só pode ser a razão das incertezas..algo que acabou antes de se desenvolver e fortalecer, um back, mas enfim via pessoal não se discute num blog...de toda forma adorei a expressão da msg e do gif tbm, pena que não é mais lento, mto linda essa cena. Tava sentindo falta das postagens!!