quarta-feira, 13 de julho de 2011

Confissão platônica

Com o tempo, percebi que meu mundo girava em torno de você. Mudava as fotos do Orkut, renovava o perfil, entrava no Msn... Sempre esperando que você me notasse. Percebi que meu gosto musical mudou e que os locais que frequentava eram mais à sua cara que a minha. Percebi que meu primeiro e último pensamento se tornou você e que minhas escolhas de viagens se limitaram aos dias em que estavas ocupado, porque teus dias de folga eram os meus de felicidade. Percebi que cada palavra tua se tornou o enigma predileto das minhas horas vagas... Distinguir o que o teu gostar de mim significava de fato pra você. Parece loucura pensar assim, mas é como aquela música de Biquíni Cavadão: “Se eu pudesse escolher outra forma de ser eu seria você”. É a única fórmula que explica essa minha obsessão de querer sempre estar ao teu lado, de absorver essa tua alegria. Eu tenho medo de quando tudo acabar. Porque querendo ou não, você se tornou meu apoio invisível. Queria que as coisas que falei fossem segredo, mas minha mente não te suporta sozinha. Aí eu falo e falo, durante horas à fio. Eu poderia levar horas, dias, anos, descrevendo seu sorriso, seu olhar, seu toque. Mas agora não pretendo fazer isso. Só quero te esquecer... Só.

Um comentário:

B. disse...

Melancólico, mas bonito ^^...gostei da sintonia com a foto que é linda tbm por sinal!