sábado, 5 de maio de 2012

19 minutos

Sabe, às vezes me pergunto como as coisas seriam se tudo não tivesse acontecido como aconteceu. Será que seria diferente? Será que EU seria diferente? Muitas vezes desço até o abismo para achar a luz que preciso, e tão pouco volto à superfície para achar minha escuridão. Porque quando tudo está claro é quando há um inferno dentro de mim, o teu inferno, o nosso inferno, a nossa história. Me tranco no quarto dos desamores e tento me desapegar de tudo, até de mim. Retiro camada por camada, pele por pele, sentimento por sentimento, mas não consigo jogar fora meu coração, porque ele sou eu e eu sou ele. Cada batida, o sangue correndo em minhas veias, o escarlate ardendo através da minha pele, meu calor, meu tempo, minha vida. Mas será essa a única prova da minha existência? Você?!

Nenhum comentário: