segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Sherloooooooock.

Perceber os detalhes, a maestria com que Robert Downey Jr. interpreta Sherlock Holmes é um dom que muitos têm, mas poucos de fato reconhecem. Cada gesto, expressão, palavra, demonstra um universo de ideias escondidas dentro de um personagem muito bem escrito. O filme como um todo dá um gostinho de "quero mais" do início ao fim. E não só isso, Jude Law está perfeitamente se encontrando dentro de Watson, desculpe-me quem guarda outras opniões acerca da escolha do elenco, mas esta, com certeza, foi feita com maestria. Como também não consigo encontrar outra trilha sonora que dê "cara" e mobilidade a história. O mistério, já esperado, e o enigma, desde já vívido, acompanha o telespectador a todo momento. E o melhor, não decepciona. As soluções, as lições, os conflitos de interesses vividos por Sherlock e Watson; como a paixão desenfreada/reprimida/desenganada entre este primeiro e Irene; as diversas artimanhas do homem e da ciência; a ambição, o orgulho, o ciúme, a verdade; são dessas coisas que esse filme está cheio.

Um comentário:

B. disse...

Esse filme só foi decepcionante no sentido de que esqueceu da frase preferida do fãs de carteirinha, o "elementar meu caro , watson" . Mas o filme está salvo, porque na opinião de uma fã de Sir Artur , Robert Downey Jr. foi o Sherlock perfeito.