domingo, 27 de novembro de 2011

Pseudotexto.

Ele não está olhando para mim. Ele não está olhando para mim. Ele não está olhando para mim. Tudo bem, quem eu estou querendo enganar, ele está olhando para mim... exatamente a partir de onde começa a correr meus botões de seda. Acho que estou com vergonha. Quero dizer, quem ele pensa que é para está olhando para mim? Odeio isso. Odeio quando estou quieta no meu canto e alguém fica olhando para mim. Odeio quando estou andando na rua e alguém fica olhando para mim. Odeio toda vez que um "homem" fica olhando para mim. Porque não são só olhares, é quase como, digamos, um assédio sexual. Não que eu ande na rua dando trela para esses indivíduos, na verdade, creio que não dou nenhum tipo de subsídio para que continuem fazendo isso. Está bem, está bem, estou exagerando, mas só um pouquinho, toda mulher tem o direito de fazer isso, vezenquando. Somos dramáticas, loucas e ciumentas., não falo de todas, claro. Toda relação precisa dessas coisas. Depois que acaba a paixão, o que é que fica? Nossa incrível capacidade de ver sempre onde não tem, ou melhor, enxergar além dessa falta de visão que atinge a maioria dos homens. É isso o que apimenta a relação, resgata a paixão, dá algum motivo para você permanecer ali na luta... resgatar uma alma perdida (esse é o sonho de toda mulher, e, não posso eu dizer que é de todo utopia). E vamos ser sinceros, homens e mulheres, depois de uma briga tudo fica melhor. E quando digo "tudo" vocês entendem o que eu quero dizer.

- Nem eu sei o que esse texto está querendo dizer.

2 comentários:

B. disse...

Sabe naaaada, malandra! KKKK
Sugestão: quero um texto pra mim, feito sobre amor não correspondido, sempre são os mais fortes.

B. disse...

P.s : título magnífico!