terça-feira, 25 de outubro de 2011

Ser... humano.

Você olha, espera, se apaixona, cria esperança, chora, espera mais um pouquinho, chora de novo, desapaixona, chora, pensa que ainda gosta, chora, olha e esquece. A paixão nasce abrasadora e morre abrasada. Sentimento sem razão, espera sem lógica, carinho sem medida. E dessas não medidas surgem tantas possibilidades, tantos sentimentos, sonhos, caminhos, desenvolve-se o ser irracional, real.

2 comentários:

B. disse...

Macabra paixão essa nossa!

Luaaz disse...

kkkkkkkkkkkkkkk verdade babi!