segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Coração.


Coração atento, incoerente, que cala, consente, grita, espera. Coração ansioso, que deseja o fim da história, mas acredita na continuidade dos sonhos, na esperança do recomeço, na possibilidade de novas aventuras. Coração medonho, que se divide em opostos, reparte pensamentos e planos, semeia o descontentamento pelo "normal" e anseia o inalcançável, o desejo constante pelo "mais". Que essa inquietude possa me levar para além das limitações do meu "eu", que os sonhos sejam alimento e a esperança, calma. Que o medo seja um visitante fugaz, todavia que a coragem fixe residência em cada parte de mim.  

Nenhum comentário: