domingo, 12 de junho de 2011

Vida vivida, esquecida.

Já faz um tempo que tenho tentado escrever meus sentimentos. A questão é que a caneta está sempre seca e o papel sempre lotado. Já tentei romper com as barreiras dessa gravidade ou devo falar vida? Lá fora existe um mundo tão grande que não caberia dentro de mim, mesmo se eu o quisesse, porque por mais que sejamos grandes, nunca seremos o bastante para compreender inteiramente o resto (dos outros, de nós, do mundo). E às vezes somos tão pequenos, que desconfio que passaríamos por um buraco de uma agulha. Somos tão não convencionais e tão não realistas. Sempre inventamos uma saída, mesmo quando ela não existe. Mas também sabemos camuflar toda a nossa vida, mesmo quando ela está correndo desenfreada, louca por felicidade. Aí eu pergunto: "Por que não apenas vivemos e somos felizes?". Porque você e eu temos essa mania de infelicidade. Sempre procuramos uma palavra, mas ficamos em dúvida se ela vem com in- ou não. Então, se é assim, por que não descobrimos a vida ainda? Ela não leva in-, mas gosta de umas -ida.

Um comentário:

B. disse...

Um dos textos mais verdadeiros do blog...fico impressionada como você consegue resumir o que todo mundo pensa de uma forma tão simples!