terça-feira, 31 de janeiro de 2012

(Im)Perfeitos.

Você começa a desenhar um boneco: faz a cabeça, os olhos, as orelhas... Coloca tudo da forma como você gosta. Ajeita as cores, as nuances, cuida dos detalhes. Enfim, faz tudo perfeito. Até que sem querer, derruba um pouquinho de tinta no canto superior do desenho, perto da cabeça, e sem querer, mais uma vez, termina por borrar toda a obra. Uma onda de frustração domina seus sentidos e você pensa: "passei tanto tempo concentrado nesse desenho que achei que finalmente ele ía me levar a algum lugar". E levou. Levou exatamente para o lugar em que estás sentado agora. Todos nós temos projetos individuais, "bonecos", sonhos, querer. Somos como crianças que correm de um lado para o outro, indecisas, escolhendo por qual caminho se tem a melhor vista, em qual brinquedo ter-se-á a aventura da eternidade, qual o sorvete mais gostoso, ou o doce mais doce, o céu mais azul. Somos assim, seres imperfeitos, humanos, feitos de carne, borrados e até mesmo rasgados, na maioria das vezes. 

Um comentário:

B. disse...

mas nas vezes sem ser a maioria o desenho borrado fica até mais bonito! vida é arte!